░ A Prisão

Mudou o meu endereço,
o horário das refeições,
a ração de tabaco, mudou-se
a cor da roupa, a cara, o aspecto
e até a lua
– tão querida aqui –
está maior e mais doce que nunca.
O cheiro da terra: perfume;
o sabor da natureza: açúcar.
Como estar no terraço da minha velha casa
e uma estrela nova
cravar-se-me nos olhos.

 

_
▪ Mahmud Darwix
(Birwa, Palestina, 1941)
in “Poesía escogida (1996-2005), Editorial Pre textos, 2008
Traducción – Luz Gómez García

Mudado para português a partir da versão em língua castelhana por – Maria Soledade Santos (Poeta e Tradutora). Nasceu em 1957, no Sabugal. Publicou “Quatro Poetas da Net” (Edições Sete Sílabas, 2002) e “Sob os teus pés a terra” (Artefacto, 2011). Mantém os blogues de poesia e tradução: http://metade-do-mundo.tumblr.com/ e https://mdcia.wordpress.com/



VERSÃO EM LÍNGUA CASTELHANA

 
 

░ La Cárcel

 

Ha cambiado mi dirección,
el horario de mis comidas,
mi ración de tabaco, me ha cambiado
el color de la ropa, la cara, la figura,
y hasta la luna
-tan querida aquí-
es más grande y dulce que nunca.
El olor de la tierra: perfume;
el sabor de la naturaleza: azúcar.
Como estar en la azotea de mi vieja casa
y que una estrella nueva
se clavase en mis ojos.

 

_
▪ Mahmud Darwix
(Birwa, Palestina, 1941)
in “Poesía escogida (1996-2005), Editorial Pre textos, 2008
Traducción – Luz Gómez García

 

Anúncios