░ espejos niños

los niños escriben
su alegría
donde el poema es más oscuro

saltan los instantes
de muro
en
muro

regresan
blancos
traspasados por la flama

uno de ellos dijo:
cuando crezca voy a ser la luna

 

_
▪ Maria Azenha
(Coimbra, n. 1945)
in “A Chuva nos Espelhos”, Editora Alma Azul, Coimbra, 2008

Mudado para castelhano por – Sandra Santos, estudante de mestrado em “Estudos Editoriais” pela Universidade de Aveiro, Portugal. Desenvolve projectos na sua área de estudos. Escreve e tra/produz. Membro do colectivo artístico “Mutações Poéticas”. Co-fundou a página de facebook “Poesia em matéria fria”. Em 2016, co-coordenou o sexto número da revista de poesia “Cuaderno Ático”. A sua missão de vida é contribuir para a partilha de conhecimento, através da sua intervenção político-poética no mundo.



VERSÃO ORIGINAL/ VERSIÓN ORIGINAL

 

espelhos crianças

 

as crianças escrevem
a sua alegria
onde o poema é mais obscuro

saltam os instantes
de muro
em
muro

regressam
brancas
trespassadas pelo lume

uma delas disse:
quando crescer vou ser a lua

 

_

▪ Maria Azenha
(Coimbra, n. 1945)
in “A Chuva nos Espelhos”, Editora Alma Azul, Coimbra, 2008

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s