░ Menino-Síria

A lua de gaze envolve a cabeça de Omran.
Omran está em silêncio.
No meio dos escombros
o alaúde das casas pesa toneladas de sombras.
Há mais cem mil crianças na linha da frente.
Omran, de cinco anos, está sentado num trono
na cadeira de uma ambulância.

Omran não chorou.
Não falou.
Omran está em silêncio.

Depois das orações da noite ouviram-se mais explosões.

O diabo urinou sem piedade no silêncio de Omran.

 

_
▪ Maria Azenha
(Coimbra, n. 1945)
Poema inédito publicado com autorização prévia da autora.

Anúncios