░ Canção do rio profundo

Desci o rio profundo
com as sereias cantando
nos rochedos
espelhos na mão
penteando ao pôr do sol
os cabelos

E vi o gnomo
escondido
guarda fiel dos segredos
que nenhum canto revela
nenhum pente
nenhum espelho
só o fulgor deste mundo

 

__
▪ Yvette K. Centeno
(Lisboa, n. 1940)
in “Canções do Rio Profundo”, Edições Asa, Porto, 2002

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s