░ Canção do rio profundo

Desci o rio profundo
com as sereias cantando
nos rochedos
espelhos na mão
penteando ao pôr do sol
os cabelos

E vi o gnomo
escondido
guarda fiel dos segredos
que nenhum canto revela
nenhum pente
nenhum espelho
só o fulgor deste mundo

 

__
▪ Yvette K. Centeno
(Lisboa, n. 1940)
in “Canções do Rio Profundo”, Edições Asa, Porto, 2002

Anúncios